Amor é Cego

A irracionalidade do amor.

...
Cliente: João Miguel Rosado

Um pequeno olival perto de Évora tem passado de geração em geração como uma jóia de família apesar da grande dificuldade que tem sido mantê-lo.
Com a ambição de o continuar a preservar para o futuro, a actual geração lembrou-se de embalar e comercializar o azeite nele produzido.
Por se tratar de uma pequena produção, com as inerentes limitações de competitividade, propusemos a estes nossos clientes aproveitar o turismo que anualmente visita a cidade e apostar apenas numa venda local em pontos turísticos através dum packaging dirigido a este público.
O sentimento por trás do projecto e o target em questão convergiram de imediato na nossa cabeça para um exemplar único do artesanato da região; a estatueta do "Amor é cego”.
Este boneco faz parte de um conjunto de bonecos decorativos (Figurado de Estremoz) feitos em barro durante séculos por artesãos no Alentejo para retratar sentimentos, ofícios do povo e figuras sagradas.
O "Amor é cego", de olhos vendados e ornamentado com trajes festivos, simboliza a irracionalidade do amor. É este o sentimento comum ao projecto, a mesma irracionalidade que levou a família a manter o olival até aos dias de hoje. Por amor!
Assim, cada garrafa para além de ser uma embalagem para um azeite virgem extra, feito a partir de cultivares tradicionais, por uma família dedicada, é também uma peça decorativa, uma recordação da região e um verdadeiro icon da cultura popular que funcionará como um “must have” para qualquer turista que visite a cidade.
A embalagem de transporte, é uma solução simples, ecológica e económica, que funciona também como expositor desta garrafinha biblot.
Este projecto constituiu-se num sucesso de vendas tendo esgotado nos primeiros meses o que levou já a família a estender a sua produção a outros olivais.