Marketing de vinho e a sua importância para o setor de bebidas

Mai 13, 2019 | design, packaging, processo

Marketing de vinho e a sua importância para o setor das bebidas

A era dos Mad Men revolucionou a indústria do Marketing e da Publicidade. Criar o melhor produto deixou de ser suficiente: era preciso comunicá-lo e comunicá-lo da forma correta. O Branding passou a estar intimamente ligado ao storytelling: contar a história do produto e torná-lo desejável para o consumidor.

Desta forma, conceitos como marketing emocional, marketing experiencial e brand equity foram criados, tendo como principal objetivo adaptar o marketing aos novos consumidores. Este ajuste teve como finalidade passar do marketing centrado no cliente, para o marketing centrado na marca.
Atualmente, esta alteração passa por criar um vínculo de confiança entre a marca e os consumidores, tendo por base a identidade, integridade e imagem autêntica.

A importância do Marketing no setor do vinho

O Marketing é importante em todos os setores. É a ciência que combina a exploração, criação, comunicação e entrega de valor, de modo a satisfazer as necessidades de um determinado público-alvo. É dever do Marketing definir, medir e quantificar o tamanho do mercado identificado, bem como o seu potencial.
Sem uma estratégia de marketing, torna-se bastante difícil para as empresas serem bem-sucedidas. Em organizações conscientes da importância do marketing, nenhum produto ou serviço é efetuado sem um plano de marketing prévio, baseado em dados concretos. No entanto, muitas empresas, e especialmente na indústria do vinho, não classificam o marketing como fundamental para o seu negócio. 
Mas até os melhores produtos do mundo necessitam de estratégia de marca que seja capaz de os comunicar. Afinal de contas, se ninguém (re)conhecer o produto, quem o irá comprar?

Afinal, que importância têm os rótulos para os consumidores de vinho?

Para os especialistas em vinhos, saber quais as castas que o compõem, a sua idade e reserva é informação suficiente para tomar decisões. Para outros, a variedade da oferta torna difícil a escolha. Que vinho combina melhor com que prato? Quais apresentam um sabor mais intenso e quais possuem uma textura mais suave?

Este desconhecimento acaba por levar os consumidores a escolher um vinho com base no seu rótulo e na informação nele constante.

É neste seguimento que o marketing entra em ação, revelando a sua importância: um rótulo, quando cuidadosamente elaborado, irá influenciar a decisão, ajudando o consumidor a escolher com base no que o mesmo lhe transmite.

Os rótulos têm um papel bastante relevante no marketing de todo o tipo de bebidas. Porém, os rótulos das garrafas de vinho acabam por facilitar uma escolha que se mostra mais complexa, pois existem no mercado vinhos de diferentes locais e de diferentes idades, diferentes intensidades e texturas. Todas estas características tornam difícil a escolha por parte de um consumidor menos conhecedor. Porém, um rótulo bem trabalhado pode colmatar esta dificuldade.

 Dois exemplos de rótulos de vinho diferentes são o vinho Tic Tac e o vinho Herdade do Sabroso, com duas representações distintas.

 

Principais características que um rótulo deve conter:

 

Cor (h3)

O consumidor é altamente responsivo aos estímulos visuais. Desta maneira, uma cor emprega múltiplas camadas de significado a um produto. Uma das questões que deve ser tida em conta é o tipo de emoção que se pretende passar através do rótulo. Para isto, é importante definir a mensagem da marca.

Gráficos (h3)

As linhas simples e ousadas que permitem a fácil distinção do logótipo, mesmo ao longe. São estas linhas que tornam o logótipo reconhecível. Neste aspeto, importa perceber quais são os gráficos que atraem o público.

Tipografia (h3)

Novamente, pretendemos transmitir uma mensagem ao consumidor. Fontes com serifa comunicam com um público mais conversador e mostram um vinho mais maduro, por vezes já estabelecido no mercado.

Por sua vez, fontes sem serifa costumam ser mais modernas, o que remete para um público mais jovem.

 

Sendo assim, o que nos leva a escolher determinado rótulo?

Mais uma vez, o “segredo” está na estratégia de marketing pensada para esse mesmo vinho. A melhor maneira de comunicar com o público que pretendemos atingir, é adaptando o rótulo a todos os objetivos definidos.

Os rótulos de vinho podem transmitir um vasto número de emoções a um cliente, podendo refletir, de certo modo, todo o sabor que está dentro da garrafa. Estes podem apelar ao sentimento ou até mesmo evocar memórias. Rótulos mais “divertidos” ou com cores mais vivas podem chamar a atenção de um público mais jovem, enquanto que rótulos com cores neutras podem captar consumidores de vinho mais maduros.

Estudos realizados referem que os millennials são mais facilmente atraídos por logótipos de vinhos com cores vivas e fontes sem serifa, ao invés de rótulos mais tradicionais.

As combinações escolhidas (cores, texto, imagens e fundo) devem passar a mensagem exata que a marca de vinho pretende transmitir.

É através do rótulo que o vinho “fala” com o consumidor.

 

 

Pin It on Pinterest